ESCUTATÓRIOROCK

Carne Doce traz som de fato doce, cru e visceral

Banda completa cinco anos de carreira e lança seu terceiro álbum

A intensidade presente no som da Carne Doce marca sempre quem escuta. A sonoridade crua, doce e visceral é escancarada nas letras de Salma Jô, como em “Falo”, “Eu te Odeio”“Artemísia”, do álbum Princesa (2016) e “Canção de Amor” do autointitulado Carne Doce (2014), entre tantas outras que andam mexendo com o Brasil há cinco anos.

É difícil rotular a banda a um único ou algum estilo musical, e não há motivos para isso. “Não acho que somos uma banda de rock, embora entenda que todos nós venhamos dessa escola roqueira”, afirmou Mac em entrevista ao Estadão.

“Às vezes eu sinto até um remorso. Muita gente passou a ter uma ideia idealizada de mim ou de como eu deveria ser ou me comportar e pensar sobre vários assuntos diferentes” assume Salma a Vice, sobre as letras de Princesa

A banda que iniciou os trabalhos na música com o EP Dos Namorados (2013), mudou sua formação e amadureceu a sonoridade. Em “Carne Doce”, álbum que trouxe algumas músicas do EP, Jô reconhece que a banda tinha certa pressa. “No primeiro disco a gente ficava mais preocupado em passar a mensagem logo e fazer as pessoas escutarem as músicas”, disse Salma durante apresentação no Programa Cultura Livre“Sabemos que uma introdução longa às vezes é um empecilho”. Em Princesa, a banda assume um tom de maior autoridade nas letras e sonoridade, com temas mais centrados no universo feminino, trazido por Salma.

Foto: Rodrigo Gianesi

Salma Jô: presença de palco

Junto com as letras e sonoridade de Princesa, também houve algumas mudanças na presença de palco de Salma, que se mostra firme e dançante quando entoa versos das músicas do segundo álbum. A presença de Jô é uma parte muito importante dos shows, a apresentação se faz completa e é capaz de chamar a atenção até mesmo daqueles que não conhecem o trabalho da banda. A dançarina interior de Salma foi aflorada, o que é perceptível no clipe de “Artemísia”, de coreografia criada por Gabriela Branco.

O clipe de Artemísia foi gravado em Campinas – São Paulo, em abril de 2016 e dirigido por Bruno Alves, com fotografia de Pedro Ferrarezzi e produção de Mat Guzzo.

Sertão Urbano é faixa do primeiro álbum e em maio de 2017 ganhou um clipe. Foi produzido por Tothi Cardoso e Guarany Neto, a fotografia ficou por conta de Kaco Olímpio, roteiro e direção por Larry Sullivan.

A banda lançou no dia 17 de julho, o terceiro álbum “Tônus”. Fizemos uma resenha que você pode conferir e compartilhar nas redes sociais. A banda também falou com a ESCUTA sobre o novo trabalho.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
1

Ver mais

Lana Oliveira

Goiana do interior. Sempre se interessou por comunicação. Formada em jornalismo e com alguns cursos de marketing no currículo. Viciada em música e nas sensações que ela transmite.

FALA AÊ!

Tem a ver...

Close