BRASILEIRALISTA

Ó paí ó: Conheça três novos sons baianos que vão te fazer querer se mudar pra Salvador

É claro que você sabe que a Bahia é o berço da música brasileira de verdade, não é mesmo?

Se liga aí parcerin!

Como boa e velha rata de música que sou, um dia me deu na veneta de conhecer mais os artistas baianos que estavam guinando suas carreiras pelo mundo afora.

Nessas buscas encontrei uma caralhada de gente massa, produzindo um som bem profissa e de qualidade sonora surpreendente, o que já era de se esperar já que o cenário da Bahia parece ser um dos mais inspiradores para fazer florescer artistas geniais.

Confira comigo alguns artistas baianos rocheda que estão consagrando seus nomes na música contemporânea brasileira.

Luedji Luna

Como falar de artistas baianos e esta magnífica mulher não entrar no meio do balaio, não é mesmo? Na real ela ultimamente tá merecendo o topo. Cantora e compositora, no auge dos seus 31 anos, Luedji Luna residindo atualmente em São Paulo, conseguiu mostrar toda a sua genialidade musical carregada de jingado, malemolência e experiência de vida.

O álbum “Um corpo no mundo” diz muito sobre quem é Luedji, até porque nas suas composições a gente consegue enxergar a percepção da artista na sociedade e de algum modo a artista busca essa reconexão com seus ancestrais. Como também aborda de forma sutil de como é ser uma mulher negra e artista no cotidiano. Em um breve resumo, o álbum desde a primeira faixa vai te embalando como uma história cantada. Uma das canções de maior repercussão é a “Banho de folhas” que conta com o som do atabaque e a malemolência do ritmo moçambicano.

Caso você ainda não tenha escutado essa preciosidade, não seja meleca e veja agora o álbum que colocamos neste artigo pra você!

Giovani Cidreira

Confesso que quando decidi falar do Giovani fiquei alguns minutos olhando para a tela do computador sem saber como descrevê-lo. Mas é real, porque o som desse boy é simplesmente indescritível e surpreendentemente FODA!

Aos 26 anos, o antigo vocalista da Velotroz, lançou no ano passado seu primeiro álmbum solo chamado “Japanese Food”, nome aparentemente aleatório escolhido justamente com essa finalidade pelo autor. Esse álbum a gente encontra similaridades desde o maravilhoso Clube da Esquina (Milton Nascimento e Lô Borges) até os beats místicos do Kraftwerk.

Baco Exu do Blues

Só aparecendo gente topzera da Bahia, não estou nem louca de deixar de citar o Baco que aos seus 22 anos já se consagrou no meio do Hip-hop/Rap Nacional.
Não poderia ser diferente, suas músicas apresentam a sua visão quase que de forma sarcástica da sociedade, como também estampa na nossa cara o empoderamento negro, a vida atribulada do ser humano nos seus mais íntimos defeitos e desejos. O álbum “Esú” foi seu primeiro disco gravado e do começo ao fim te faz sentir do gozo ao choro, com batidas fortes e composições mais ainda, te produz verdadeiros multiorgasmos sonoros.

Saca só cabeção!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
121
Tags
Ver mais

Tiz Goes

A biomédica cantora que saiu do meio do mato pra ser publicitária e hoje ouve/vive música e mexe com café. Respirando música 24/7 do tempo, ouve de Limão com mel a Black Alien.

FALA AÊ!

Tem a ver...

Close