XANDÃO ROQUE

Profissão artista: Você está prestes a engordar os 13% do desemprego

Vamos refletir um pouco sobre essa atividade e a sua (falta) de mercado

Se você é um pequeno artista, toca ou já tocou em barzinho “em troca de pão”, eu não vou te desestimular mas vou te contar algumas coisas que não couberam na música do vô Milton: E a primeira delas é que o pão não se multiplicou para ser dividido.

Entenda… Se você ainda está nos botecos vai saber melhor do que eu que dá pra fazer uma grana legal mas, contudo, porém, todavia se você tocar todo final de semana, às vezes em dois ou três lugares na mesma noite. E se você conseguir o seu lugarzinho ao sol o spoiler é: Isso não tende a mudar.

No ano de 2018 eu trabalhei com produção de sete megaeventos no Estado de Minas Gerais e todos eles com grandes artistas do sertanejo, funk e eletrônico. Posso, com certa propriedade, dizer que não está fácil para nenhum deles e a partir dessa linha vou mostrar os motivos.

Há anos atrás, estando em grande gravadora ou sendo um selo independente, a maioria dos artistas ganhava a grana mesmo era com a venda de discos, fitas K7, CDs e afins. Não era atoa que o saudoso Tim faltava de show quando bem entendia. Talvez a Vitória Régia Discos, se tivesse continuado seus trabalhos, não sobreviveria aos dias de hoje.

Você achou que o Uber tinha dado na canela dos taxistas, que a Netflix quebrou os canais de TV, mas meu amigo você não sabe o grau de periculosidade das plataformas como Spotfy e Deezer. Parece estar tudo bem, mas artista é artista e isso é só aparência. Se o camarada não está nessas plataformas ‘on demand’ ele simplesmente não existe. Agora é fazer show ou fazer show, não tem outra solução.

Aí você vai me dizer: ”Mas entra grana com outras coisas… publicidade, por exemplo”.

Sim, entra. Mas a roda que precisa girar é muito maior do que isso. Por trás de uma dupla sertaneja ou de um DJ existem centenas de bocas famintas: Banda, Roads, Técnicos, Produtores, Gravadora, Escritório, e outros.

Você já imaginou artista de sucesso demitindo a banda inteira porque eles pediram aumento de cachê? Aconteceu com o Gusttavo Lima.

Já imaginou uma dupla estourada de sucesso colocando um funcionário deles na porta do evento pra acompanhar quantas pessoas entrariam no evento porque, ao invés de receber cachê fechado, eles iriam ter participação na bilheteria? É o que mais acontece hoje em dia.

Aí tudo certo, se o cara consegue vender show ele está bem… Hum, acredito que não seja tão por aí. Temos ainda um outro fator…

Sabe aquele festival que você vai todo ano e você tem a ligeira desconfiança de que o nível dos artistas do line-up vai só caindo? Então, isso é real.

Em agosto de 2018, em um congresso de produtores de eventos que participei em Florianópolis, uma das conclusões a que chegamos é de que no tempo das selfies em redes sociais, estava valendo mais a pena investir em um camarote bem decorado, limpo e seguro do que em atrações para o palco da festa.

Eu ia falar sobre o quão vai mal a venda de ingressos e os malabarismo que as ticketeiras tem que fazer para sobreviver. Mas chega de realidade por hoje.

Se você não se sentiu desanimado, te desejo sucesso. Salve!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Tags
Ver mais

Xandão Roque

Músico, publicitário, produtor de eventos e vencedor do Open Innovation Entertainment 2018.

FALA AÊ!

Close