BRASILEIRAPERFIL

Duda Beat: da sofrência às efemeridades amorosas

Cantora abre seu coração no seu primeiro álbum independente “ Sinto Muito”

Eduarda Bittercourt vem performando no mundo artístico como Duda Beat (oriundo do estilo musical Maguebeat) e mostrando talento e garra em seu primeiro CD “ Sinto Muito” lançado agorinha em 2018.

A cantora e compositora de origem recifense e radicada há alguns anos no Río de Janeiro, conta que teve contato com a música desde os 13 anos e participou nessa época de corais da igreja. Contudo, seu contato mais aproximado e profissional com a música tardou um pouco mais pra florescer de fato.

Duda começou a ter notoriedade após participar como backing vocal em faixas de Castello Branco e Letrux.

Agora falando mais sobre esse álbum,    ” Sinto Muito” apresenta no total 11 faixas sendo do início ao fim um desabafo sincero, nu e porque não dizer, relatos angustiados de Duda que reflete como um tapa na cara às tantas situações amorosas que vivemos cotidianamente.

Um exemplo clássico são dos famosos aplicativos que ajudam a promover encontros casuais, onde por um lado é prazeroso (pelas experiências infinitas que um indivíduo pode ter)  e por outro  nos traz à tona temas como o “ amor líquido “ de Bauman e sobre a tão temida responsabilidade afetiva e carência humana.

As músicas “ Parece pouco” e “Back to Bad” são as que mais expressam a ideia central do CD. Em “ Back to Bad” a cantora diz: “ a vida toda eu quis me dar inteira/ mas você só queria a metade”.

Já a música “Bixinho” o jogo parece virar quando diz “ Eu nunca senti desapego por ninguém/ com você experimentei / não resisti” onde relata que em algum momento somos aquela pessoa que sofre por amor mas também se desapega com facilidade de alguém.

Reflexões antropológicas à parte (risos) nesse álbum podemos encontrar o brega romântico, bass, trap, indie e pop, uma mistura que ficou muito bacana, graças também ao Pedro Garcia, responsável pela masterização.

 

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
Tags
Ver mais

Tiz Goes

A biomédica cantora que saiu do meio do mato pra ser publicitária e hoje ouve/vive música e mexe com café. Respirando música 24/7 do tempo, ouve de Limão com mel a Black Alien.

FALA AÊ!

Tem a ver...

Close