DESTAQUEEXCLUSIVALANÇAMENTO
Popular

LANÇAMENTO! Em nova fase BREU apresenta o primeiro álbum IDEIA ERRADA

Esgotado o tempo da MDNGHT MDNGHT banda se aprofunda em novas sonoridades

Precisando tomar uma atitude na vida? Chama! Esses caras se tornaram ao longo dos cinco anos de carreira especialistas em mudanças. A banda é uma constante experimentação, já passou das canções em inglês para nossa língua nativa e agora investe forte em sonoridades tropicais, influenciadas pelo rock progressivo, o jazz e o psychopop.

Breu é

Bepo “Henrique Cintra” (vocalista e tecladista), Biu “Henrique Rodrigues” (guitarrista), Malms “Maurício Barcelos” (baixista) e Thundergetson “Anderson Freitas” (baterista). Juntos há três anos perceberam rodando o Brasil, que o antigo nome era mais complicado que estiloso. Durante um show um fã chega pra Biu com o celular na mão e pede “escreve o nome da sua banda aqui que eu não tô achando”. Foi a última vez. Junto com essa insatisfação surgiram também novas questões como deixar o pop um pouco de lado e investir num som livre e provocante.

A ESCUTA foi lá no estúdio da BREU, assiste aí!

IDEIA ERRADA

É resultado de um ano de processo criativo, experimentações e a busca do Brasil na música. São 11 faixas, as duas primeiras antecipadas com clipe; o improviso Cada um Faz o Que Quer com  apenas 36 segundos, Nó e sua Intro, e uma segunda versão para Sucata. Parquinho 209/210 encerra o álbum com quase 10 minutos de sons que foram compostos durante 7 meses entre os ensaios e gravações. Além de outras cinco inéditas.

Com estruturas simples ou lotadas de sintetizadores, tudo flui ao toque da bateria fora do óbvio. Os desafios na composição começaram ainda em turnê. As primeiras que vieram foram Mano do Céu trabalhada inicialmente como Clarear antes Saravá – as duas repaginadas – e Borboleta Azul. Gaiola e Tabuada refletem um clima próprio e tiveram processos simplificados.

“O disco tem momentos diferentes, alguns mais confusos, mais doidos… outros mais tranquilos e suaves. É um disco super diverso e muito coerente com o que a banda propõe”

, afirmou o baterista Thundergetson.

Voar de Novo

A primeira música da BREU foi lançada em maio pelo HITS PERDIDOS com o clipe produzido por Mayara Machado, Bianca Anderes, Lucas Lino, Rogério Miranda e dirigido por Anderson Freitas. A música progride de forma cativante até nos levar, conduzidos pela voz de Bepo, a pleno voo. Com pausas contemplativas que retomam a trama da chave no chão à espera na janela.

“O clipe mostra nuances de um relacionamento abusivo, com um final retratando o processo de libertação buscando a conexão com a letra da música de forma metafórica em certos pontos e literal em outros, dentro do imaginário que a canção traz como reflexão”, analisou o Hits Perdidos.

Sucata

O segundo single lançado pelo MultimodoBr chega com o existencialismo que confunde e deixa reflexões além das ironias do leitinho na mamadeira, do pastel de palmito, caldo de cana e da coxinha de jaca. Mas isso a gente só vai saber nas próximas semanas com um faixa a faixa que já estamos preparando.

“O eu-lírico se apresenta como um típico “cidadão de bem” que tem sua expressividade reprimida e dissolvida numa rotina de trabalho árduo, como se isso fosse suficiente para se posicionar acima dos demais. Num surto de fraqueza, ele se revela inseguro e exausto diante do obsoleto modelo de vida tradicional masculino.” Bepo ao MultimodoBR.

Este slideshow necessita de JavaScript.

INSCREVA-SE NO CANAL DA BREU.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Fonte
HITS PERDIDOSMULTIMODO BR
Ver mais

Felipe Qualquer

No rádio desde moleque pesquisa o universo da música e escuta de tudo. Em MG atuou nas rádios Minas, Nova e 94FM. Em Brasília passou por Transamérica, Metrópoles e MIX FM. Escreveu para os jornais Gazeta do Oeste e O Popular e Revista ShowBar. Produtor cultural desde 2010 com trabalhos no festival EcoMusic, Rua do Rock, Usina de Rima, Grito Rock, Festa Nacional da Cerveja, Toma Rock, Transamérica Convida, No Setor e Cervejaria Criolina. Estudou comunicação e é graduando em Teoria, Crítica e História da Arte na UnB.

FALA AÊ!

Tem a ver...

Close