Fredson Carneiro

Baiano de Ibititá, sou apaixonado por música desde sempre. Sendo um diletante nas artes, sou mestre em Direitos Humanos pela Universidade de Brasília e doutorando em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde desenvolvo pesquisa sobre as transformações promovidas no direito e na política pelas lutas das pessoas transvestigeneres. Sobre a vida e a música, concordo com Milton Nascimento: "Há canções e há momentos/Em que a voz vem da raiz/Eu não sei se é quando triste/Ou se quando sou feliz/Eu só sei que há momento/Que se casa com canção/De fazer tal casamento/Vive a minha profissão".
DIÁSPORA

Africaneando a terra do Pelô: Conheça o som Afropop de Majur

Africanizando ainda mais Salvador, a Roma negra cantada por Caetano Veloso, Majur desponta na cena cultural brasileira com voz imensa,…
BRASILEIRA

Josi Lopes: um tambor gritando na noite quente dos trópicos

Ainda está quente no verão de incertezas do Brasil de 2019. O “tambor está velho de gritar”, nos disse o…
BRASILEIRA

O negro som de Ilessi – Uma fogueira que queima “mundo afora”

A fogueira está queimando para São João na terra em que Ilessi entoa seu som ancestral. Mas, não é sobre…
BRASILEIRA

Virgínia Rodrigues: essência de tudo sem fim

Virgínia Rodrigues é essência, labareda, mar profundo, um sol negro a iluminar a canção brasileira desde os primeiros vocais postos…
BRASILEIRA

A voz maior, quando canta: de dentro da chuva, Aline Frazão entoa a canção que a paz reclama

Aline Frazão, jovem cantora angolana lança hoje, dia 21 de setembro de 2018, o seu quarto disco de inéditas intitulado…
BRASILEIRA

Nara Couto: quando o brilho do mar da Bahia pediu a minha mão

Salvador, a cidade da Bahia, é mundialmente conhecida como “Roma negra” e não é em vão. Com referência direta ao…
BRASILEIRA

Como o São Francisco na cheia, Josyara transborda poesia em Mansa Fúria

“Quando você for ver o mar/ Seus olhos mergulhar na casa de Yemanjá/ Bahia de todos os santos vão abençoar/…
BRASILEIRA

Elza Soares – De dentro de cada um a mulher vai sair

Em 1984 Audre Lorde, escritora feminista e ativista pelos direitos civis da população negra e LGBT dos Estados Unidos, problematizou…
BRASILEIRA

“Mas se eu já fui trovão que nada desfez”

Um pensador camaronês chamado Achille Mbembe nos lembrou há algum tempo que a permanência do racismo foi responsável pelo apagamento…
Close